some place i can go

where no one knows my name.

Dia 1 (indefinido)

Ela chegou. Não pude vê-la chegando da sacada, mas ela finalmente chegou. Pedi pro porteiro mandá-la subir e avisei no whatsapp que era o décimo andar.Deixei a porta aberta pra evitar desconforto quando ela fosse tocar a campainha, que não funciona. Quando ela saiu do elevador, escuto o barulho da minha porta:

-Pode entrar! - Eu disse enquanto tomava um gole de suco de maracujá direto da caixa. Queria parecer natural, casual. Estava usando bermuda (eu nunca uso bermuda), e uma camiseta estampada com a frase “mais amor menos rancor”, do Fly. Já tinha dado um shot de Rexona e graças a Deus o perfume que passei de manhã ainda exalava.

Tá, ela já estava em casa e o que contarei a seguir aconteceu em 5 segundos:

Me aproximei dela, mas antes de pensar em fazer isso já sentia seu cheiro. E ainda antes disso, eu já havia notado seu sorriso, que me congelava por dentro. Meu pescoço endureceu, mas a cada passo meu (no total foram dois), seu sorriso evoluía. Cheguei bem perto para cumprimentá-la com um abraço, mas quando seu rosto tocou no meu, o cabelo dela chegou ao meu nariz. Se acasalaram ali. Combinados, o cheiro dela e o de seus cabelos me fizeram esquecer de abraçá-la e me esquecer de qualquer outro perfume que havia sentido em minha vida. Se o cheiro dela fosse uma nota musical, seria Sol.

Bem, isso foi estranho, ela já me disse que gostava de abraços e eu dei um beijo que me fez parecer frio. Talvez fosse o que eu queria mesmo, parecer casual, frio. Sei lá, agora já foi. 

A deixei ir. Ela se aproximou do sofá e cumprimentou o Gabira. Eu não vi o que fizeram, poderiam ter se beijado de língua ali que eu não perceberia, pois não parava de olhar pras pernas dela. Lembro que ela usava um jeans azul justo e botas marrons.

Ela sentou e começamos a conversar sobre alguma coisa qualquer que eu juro que não consigo me lembrar. Geralmente tenho uma memória boa pras essas coisas, mas ela estava tão gata que liguei o Marcio Automático pra não congelar e falar besteira. O cheiro dela ainda me acolhia. 

Então ela pediu pra fumar um cigarro. Mostrei a ela a sacada e o cinzeiro, o que a fez lembrar de que precisava de um cinzeiro para a casa dela. Tive vontade de dar o meu cinzeiro pra ela, já que não fumo (tanto), mas pensei na reação do meu pai e da Bruna quando soubessem.

Ela ficou à parte. A porta da varanda estava aberta, mas ela estava com o celular na mão, ou seja, já tinha se distraído.

Olhei pro Gabira. Ele estava arregalando os olhos e fazendo mímica, meio que dizendo “gata demais, GATA DEMAIS! PEGA ELA!”, e mordia a boca. HAHAHAH eu concordava, óbvio.

Ele entendeu rápido o que tava acontecendo ali, e tratou de ir embora logo:

”- Meu rodízio já acabou, vou vazar, Mércio. Falou. Tchau, Júlia!”

Beleza, Gabira vazou: My time to shine.

Ah, mas antes disso, aconteceu uma coisa que me marcou muito. Estávamos eu, ela e o Gabira lá conversando, quando eu disse alguma coisa que fez todo começar a rir. O problema é que O Gabira abaixou a cabeça pra rir, e BABOU! Ele tentou disfarçar, mas eu percebi. A Júlia estava sentada do meu lado, então eu apoiei meu rosto no ombro dela e ri muito. Só percebi o que fiz quando já estava lá. Queria que isso tivesse sido premeditado, assim eu teria aproveitado mais o momento. Quando recobrei meus sentidos, ela tava olhando pra mim, mas não com cara de “mano, nunca mais encoste em mim”. Sei lá, ela me olhou e eu fiquei “wtf, o que eu fiz?”, mas cara, foi demais. Foi meu primeiro contato físico com ela, depois de a ter cumprimentado quando chegou.

Ok, o Gabira foi embora, ficamos só eu e ela.

Vou adiantar o que aconteceu, senão vou ficar o dia todo digitando.

Ela se sentou do meu lado e ficamos conversando. Eu evitava ficar olhando pra ela, se olhasse demais talvez bancaria o otário olhando com cara de paisagem. Então peguei meu violão e comecei a tocar qualquer coisa, mas sem parar de conversar.

Eu não tava tocando música nenhuma, apenas introduções de um monte de músicas combinadas. Eu sei lá porque tava fazendo aquilo, quando a gente tá nervoso faz coisas sem sentido. Quando me arriscava a olhar pra ela era justamente a hora que ela tava olhando pra mim também. De repente o assunto acabava e ficávamos nos olhando por alguns Segundos. Então ela abaixava o rosto e continuava a falar. Nossa, como eu me sentia um bosta. Imaginava o Gabira e no Lucas rindo de mim e falando “HAHAHAHAHA a GUÉROL (expressão para “mina gata” no nosso dialeto) sozinha com você na sua casa e você não deu nem um beijo nela! HAHAHAHA SEU LIXO!”. E era exatamente como eu me sentia: um lixo.

Mas ser um lixo ao lado de uma mina super gata não te faz parecer um lixo.

Continuava falando coisas engraçadas pra ela rir. Sei lá, eu sou bom em fazer as pessoas rirem. Talvez não aqui, nem agora, mas é normal isso acontecer quando converso com as pessoas.

Isso de a gente se olhar sem falar nada deve ter acontecido algumas (várias) vezes, e cada vez eu me sentia pior. Mas não demonstrava, óbvio.Só sei que no fim me pareceu que a visita fora bem agradável. Ela disse que precisava ir, então eu respondi que a acompanharia até a portaria. Chamei o elevador e ficamos nos olhando no hall do meu andar. Tudo aquilo sobre me sentir um lixo se repetia. Se eu fosse um balde de lixo, com certeza a Bruna já teria me mandado colocar pra fora.

No elevador abri a porta para ela entrar primeiro. Ela agradeceu e eu apertei o Térreo. Com os braços pra baixo e as mãos juntas, notei que o bíceps dela tinham um formato mais arredondado. Falei a primeira coisa que me veio a mente:

- Você é forte!

E ela  me olhou com cara de “que?” e negou com um sorriso sarcástico.

Eu disse “É sério!” e pedi pra ela fazer “o muk” (aquele movimento com o braço pra exibir o bíceps). Ela fez, mas o braço dela não mudou de aspecto. Eu disse que ela estava fazendo errado e então segurei sua mão e embaixo do braço e o movimentei pra frente e pra trás dizendo: - Viu?

Ela, meio sem entender (garanto que não entendeu nada), concordou. Ok, isso foi muito estranho. Talvez mais estranho que aquela hora em que eu apoiei meu rosto no ombro dela. Mas quem se importa? Você fez contato físico. E mais que isso: foi premeditado. Curti o momento. Conclusão: a pele dela é macia. Quando peguei na mão dela, imaginei como seria se ela tocasse o meu rosto.

Dei um beijo no rosto dela e de novo não a abracei. Por que não abracei? Apenas continuei o que fiz no início. Entendam: para que as pessoas não notem seus erros involuntários, você deve fazê-los parecer acertos programados.

Enfim, ela foi embora. Naquele momento eu soube que gostava dela. Desde que eu me descobri como um cara, e que caras pegam meninas, eu sempre estive cercado delas, mesmo que virtualmente. Eu sou um cara da internet, conheço muita gente, mas a verdade é que sou um bosta na vida real. Posso parecer corajoso aqui, escrevendo sobre esse monte de coisas íntimas que aconteceram comigo, mas a verdade é que eu não sou. Não me considero um nerd. Nerds pra mim são aqueles caras que fazem questão de ser babacas e se acham os donos da verdade, que estão sempre dispostos a acrescentar informações inúteis num tópico em que não foram chamados, e a dar opiniões que não foram pedidas, e digitam como fãs de Los Hermanos no Twitter e no Facebook. Eu não sou nerd, é só que mulher é foda.

Tá bom, deu a hora de buscar a Bruna no trabalho. No caminho eu agradecia a Deus pelos sinais vermelhos. O que antes me irritava muito, agora me agrada, porque é no sinal vermelho que eu posso respondê-la no whatsapp (o esteriótipo nerd da minha concepção agora diria que não se deve mandar mensagens enquanto se está dirigindo). Melhor que responder, era ler o que ela escrevia. Muito fofa. Ela ri de tudo que eu falo, mas não como uma boba alegre: ela realmente me acha engraçado, me admira. Até disse que sou corajoso.

Eu inseri o tópico “visita a minha casa” na conversa. A questionei sobre o clima que rolava quando a gente se olhava. Eu disse:

- Ah, se você me desse moral… - Meti o loco logo de uma vez, mandei na lata.

- E eu não dou? - Ela respondeu. Ah, mano! Bati minha cara no volante de ódio. De ódio de mim né, óbvio. Já que eu tava falando de lixo aquela hora, talvez agora eu não me sentisse mais apenas um balde de lixo, mas sim um aterro sanitário humano que usa Rexona. Lamentei pelo Whatsapp. 

Quando a Bruna entrou no carro, já mandou na lata também:

- E aí, a Júlia foi lá em casa? Como foi? Pegou ela? - Dizia empolgada, e isso me fez pensar como devia estar chato lá no trabalho dela. O chefe que a ama viajou, e enquanto isso no lugar dele estava um outro advogado chato que manda ela fazer coisas inúteis o tempo todo. Sim, a Bruna faz Direito. Ela é o orgulho e eu a escória. Ela é esperta e eu sou burro. Ela vai ficar rica e eu pobre. Enfim.

Eu respondi que não.

- Por quê??? - Inconformada.

- Por que eu sou um merda! - Gritei, mas não com raiva, apenas rindo da minha desgraça.

Então a gente foi conversando no caminho pra casa sobre essa tarde, sobre o trabalho dela, contas a pagar, e o que iríamos comer naquela noite. Passamos na locadora e pegamos uns filmes. Sim, a gente aluga filmes. Conheço e uso Torrent, mas é que prefiro olhar um monte de filme e decidir por lá o que vou assistir, do que ficar imaginando o que eu quero ver e no final baixar alguma coisa que vai vir com a legenda errada. 

Enquanto a Bruna decidia que sabor de sorvete pegar, eu falava com a Júlia pelo celular. Disse pra ela:

- Tô na locadora, quer assistir um filme comigo? - Fui ousado e alegre, como o lema do jogador Neymar. Óbvio que ela não iria assistir, eu disse só pra ver se ela tinha uma reação tipo “awn, não posso” ou “não cara, larga de ser troxa”. É claro que a reação dela foi a primeira opção. Eu tava curtindo, e ela também.

Então a gente já estava de amorzinho pelas internets. Isso é muito bom, porque eu encaro isso como um desafio. Eu me proponho a fazê-la se sentir cada vez melhor quando fala comigo.E, quando consigo, ela me retribui com amor e risadas em CapsLock tipo “SHAUHSDAUHA”, que no Whatsapp valem mais no que dinheiro. Um fato: Se você consegue fazer uma menina sorrir, você consegue fazer qualquer coisa.

Terminei meu dia bem, mas querendo mais. Não no sentido ambicioso, eu não tava desesperado pra pegar ela. Na verdade, tava sim, mas não era só isso. Eu queria saber mais a seu respeito, e o que mais eu poderia fazer pra torná-la minha.

Então é isso. 
Ellen veio ao Brasil e mais uma vez não pude vê-la.
Quem aproveitou sua presença conseguiu notar quão ilustre uma pessoa é capaz de ser, quanta beleza olhos podem ver e quanta falta alguém pode fazer. 
“Pode fazer” vírgula! Faz! Pra mim, que vi Ellen chegar, estar e partir assim, daqui de longe. Longe… não tão longe quanto outro continente, mas tão à parte quanto. 
Que inveja! Inveja das meninas que puderam aproveitar cada instante, comemoram seu aniversário, riram, se divertiram e ficaram juntas até a hora de partir. Não sabem a sorte que tem. Não apenas por estarem lá durante toda sua estadia, mas por viverem na cidade que se houver remota oportunidade, Ellen voltará e será recebida com amor. Arantes: quisera fosse meu sobrenome. Quem sabe se osse teu irmão ou parente, viveria mais tempo ao teu lado aqui ou aí. Ellen partiu, mas não partiu apenas sua viagem, partiu também meu coração.
Daqui do Brasil, já sentimos sua falta (tecnicamente nunca deixei sentir).

Assinado: Nós.

Mais uma vez fui negado.
Mais uma vez a vida fez questão de me mostrar o quanto posso ser feliz e no final não ser.
E denovo sou o velho eu: sozinho.
Seguir aprendendo novas maneiras de me decepcionar, e não são poucas! Errando que se aprende, não é? Não. É errando que se cansa de tentar. Só o erro nos mostra o quanto somos burros o bastante pra desistir antes de tentar. Pois eu acabei de cansar. Na verdade acabei de acabar. Acabou.
Agora eu sou mais um, mas não só um. Não tô sozinho, tenho muito o que fazer. Amores é melhor ter muitos, um é demais.

Quando o travesseiro não conforta.
Quando o cobertor não aquece.
Quando a cama não acolhe.
Quando fecha os olhos e não dorme.
Quando dorme e não fecha os olhos.
Cansa.

Conheci o amor do pior jeito:
De jeito nenhum.

miles don’t mean anything

miles don’t mean anything

CHEGA A GATA EU ENCONTRO ELA A GENTE VAI PRO MOG CHEGA LA ELA TA MTO GATA E CHEIROSA ENTRA NO MOG. ENTREI NO MOG FAÇO CARA QUE SÓ TO LA PQ ME OBRIGARAM A IR POIS TENHO COISA MTO MAIS LEGAL PRA FAZER COMO JOGAR DAMAS (PARA INTERNET) NO WIN XP DO TIO ROBERVAL. ENTREI NO MOG É DOUBLE DE WISKY MAS NAO PEÇO POIS QUERO FICAR SÓ NA AGUA. A GATA ENCONTRA AS AMIGAS MENOS GATA QUE ELA BLZ EU FICO SÓ DE LONGE VENDO ELA RIR SE DIVERTIR. ELAS TEM ASSUNTO SÓ DELAS VC TA SOBRANDO COMEÇA A TOCAR LADY GAGA VC FICA COM VERGONHA DE ALGUEM BEBADO DO SEU LADO OLHA PRA GATA E CHEGA PERTO DELA PRA DIZER ALGUMA COISA LEGAL MAS ELA NEM
OLHA PRA VC POIS NAO FALAVA COM A AMIGA HA MTO TEMPO A AMIGA PERGUNTA DO EX A GATA DIZ ALGUMA COISA QUE ELA NAO DIZIA PRA VC ENTAO VC FICA SEM GRAÇA A GATA PERCEBE SEU SEMBLANTE CABISBAIXO PERGUNTA O QUE FOI VC OLHA PRA ELA E PENSA “QUE GATA” E DIZ “NADA NADA” RINDO MEIO BESTA FAZ UM COMENTARIO ALEATORIO SOBRE A MUSICA ELA DIZ QUE ACHA LEGAL ATE O ARTISTA QUE TA TOCANDO VC PERGUNTA QUEM É ELA RESPONDE “ALL AMERICAN REJECTS” VC LEMBRA DE TODAS AS VEZES QUE TEVE OPORTUNIDADE DE OUVIR ESSA BANDA MAS PASSOU O TEMPO E VC NAO OUVIU. SENTIU REMORSO E ENQUANTO DIZIA PRA ELA “AAAH CONHEÇO ESSES CARAS É BOM” VC CRIAVA UMA NOTA MENTAL DE BAIXAR A DISCOGRAFIA DA BANDA PRA SE INTERAR DO ASSUNTO COM ELA. VC OLH PRA BUNDA DELA IMAGINA ELA SEM ROUPA DEPOIS IMAGINA ELA TE BEIJANDO DEPOIS OLHA PRA FRENTE ERA A BUNDA DE UM CARA OLHA PRO SEU LADO ELA TA BEM. PERTO APOIADA NA PAREDE CONVERSANDO COM A AMIGA A MAO DELA TA PERTO DA SUA ABAIXADA VC JOGA FORA A GARRAFA DE AGUA E PEGA NA MAO DELA E PASSA O DEDO NO ANEL DECORADO DELA FAZ UM COMENTARIO SOBRE O ANEL E DIZ QUE COMBINA COM O ESMALTE ELA AGRADECE E RI MTO FOFA VC SE APAIXONA A AMIGA PENSA “ESSE CARA É BOIOLA FAZENDO COMENTARIO DE ANEL E ESMALTE” VC DIZ “NOSSA EU FUI MTO GAY AGORA NÉ?? KKK” A GATA DIZ “SIM” - A AMIGA CORTA E DIZ MTO MAIS ALTO “SIM UAHAHAHA” A AMIGA TE DEIXA SEM GRAÇA A GATA NAO GOSTOU DA ATITUDE DA AMIGA VC ESTA SEM GRAÇA PELO CLIMA QUE CAUSOU ALI VC DIZ QUE VAI PEGAR UMA AGUA ELA FALA BLZ NO CAMINHO DO BAR VC ENCONTRA OUTRA GATA VC FINGE QUE NAO VE OLHA PRA BUNDA DELA OLHA PRA CIMA PEGA O CELULAR ABRE O TWITTER NENHUMA MENTION OLHA PRA FRENTE A SUA AMIGA AINDA TA LA VC CUMPRIMENTA ELA TE ABRAÇA ESTA CHEIROSA VC SE APAIXONA RAPIDO ELA PERGUNTA QUE HORAS VC
CHEGOU VC NAO SABE NEM
QUE HORAS SAO ABRE O CELULAR VE QUE HORAS SAO GUARDA O CELULAR ESQUECE QUE HORAS SAO E DIZ PRA ELA “CHEGUEI AS 10 MAS TAVA LA FORA” ELA PERGUNTA “VC FUMA?” VC DIZ “NAO” ENQUANTO VC PENSA EM TODAS AS VEZES QUE JA FUMOU NA VIDA VC SE ARREPENDE ELA FICA SEM ASSUNTO VC FICA SEM
GRAÇA LEMBROU DA SUA GATA QUE TA LA EM CIMA VC DIZ PRA OUTRA GATA QUE VAI DAR UMA
VOLTA E FICA SEM GRAÇA PQ ELA QUERIA CONVERSAR MAIS VC FICA TRISTE POR ELA E VAI INDO EMBORA PENSANDO EM
ALGO ENGRAÇADO PRA DIZER PRA ELA QUANDO CHEGAR EM
CASA VC SOBE E VE SUA GATA CONVERSANDO COM UM CARA VC TORCE PRA SER GAY E VAI CHEGANDO OLHANDO PRA MAO DELE PRO CORTE DE CABELO E VAI FAZENDO UM CALCULO PRA VER SE É GAY: TENIS DA OSKLEN PODE SER CAMISETA ABERCROMBIE PODE NAO SER CABELO RASPADO DO LADO É GAY RED BULL EM CIMA DO COPO DE VODKA NAO É GAY DEU RISADA MTO ALTO É GAY CALÇA DA CAVALERA NAO É GAY QUANDO ENTAO SUA GATA TE APRESENTA O CARA “MARCIO ESSE AQUI É O MURILO, MU ESSE AQUI É O MARCIO” VC ALIVIA AO SABER QUE O APELIDO É MU QUANTO ENTAO ELE TE DÁ A MAO MOLE PRA APERTAR E DIZ “OIII” PRONTO O CARA É GAY DAI ELE VAI EMBORA SÓ TA VC E A GATA VC PERGUNTA DA AMIGA ELA DIZ “NAO SEI ELA TAVA AQUI AGORA E SUMIU” VC FICA ALERTA A GATA ESTA MTO GATA DELA PASSA A MAO NO CABELO E VC SENTE O CHEIRO DO CABELO DELA SEM ELA PERCEBER VC SUSPIRA E SE APAIXONA MAIS ELA OLHA PRA VC E VC OLHA PRA ELA DA UMA RISADINHA ELA SE PERGUNTA SE VC É GAY VC SE LEMBRA DE TODAS AS VEZES QUE JA TE PERGUNTARAM ISSO VC DUVIDA DA PROPRIA MASCULINIDADE VC OLHA PROS PEITOS DELA VC GOSTA IMAGINA ELA SEM SUTIA VC GOSTA VC LEMBRA QUE ELA
AINDA ACHA QUE VC É GAY VC NAO FAZ NADA POIS VC SABE QUE NAO É VC BEBE AGUA E PERGUNTA SE ELA NAO QUER SENTAR ELA DIZ NAO VC TENTA PEGAR A MAO DELA MAS NAO SABE COMO VC IMAGINA COMO DEVE SER A TEXTURA DA MAO DELA IMAGINA A MAO DELA NO SEU ROSTO VC ENCONSTA NA MAO DELA BEM RAPIDO ELA NAO FAZ NADA VC FINGE QUE FOI SEM QUERER NA VERDADE VC FINGE QUE NEM NOTOU QUE ENCOSTOU NA MAO DELA VC OLHA PRO SAPATO DELA IMAGINA ELA SE ARRUMANDO PRA SAIR COM VC. VC PENSA EM ALGO LEGAL PRA DIZER E QUANDO VAI DIZER ELA TE DIZ ANTES “PERAI JA VOLTO” E VAI NO BANHEIRO VC CONCORDA COM A CABEÇA E VE ELA ANDANDO PRA LONGE VC SENTE MEDO E FICA ANGUSTIADO SE SENTE MAL PQ NAO SABE O QUE DIZER PRA ELA VC PENSA NAS VEZES QUE JA BEIJOU UMA MENINA MAS NAO CONSEGUE LEMBRAR DE NADA QUE TENHA DITO NAQUELAS VEZES QUE POSSA TE AJUDAR AGORA VC IMAGINA O QUE ELA TA FAZENDO NO BANHEIRO VC RAPIDAMENTE CORTA ESSE PENSAMENTO E PENSA “VEIO DEIXA A MINA MIJAR EM PAZ” VC VOLTA A PENSAR EM ALGUMA COISA PRA DIZER PRA ELA PENSA EM ALGUMA NOTICIA LEGAL NADA PEGA O CELULAR PRA VER OS TT NAO TEM NADA ELA CHEGA VC NO INSTINTO PERGUNTA COMO TA LA CIDADE DELA ELA DIZ “NAO SEI FAZ TEMPO QUE NAO VOU LA” VC PENSA “EU SEI EU TE STALKEIO TODOS OS DIAS” MAS DIZ “HMM MESMO?” E CONTINUAM A CONVERSAR UNS PAPOS MORTOS VC SE SENTE MAL PQ OS ASSUNTOS DURAM 2 MIN NO MAXIMO UMA PAUSA DE 5 MIN O ASSUNTO MORRE VC DIZ ALGO ESTRANHO MAS SINCERO DO TIPO “VC É MTO GATA MAS EU NAO CONSIGO CHEGAR EM VC” VC SE SENTE ALIVIADO MAS LOGO TE DA VONTADE DE CHORAR ELA FAZ UMA
CARA QUE VC NAO CONSEGUE DECIFRAR E DIZ “É UMA PENA” VC INTERPRETA AQUILO COMO UMA PROVOCAÇAO PRA “VÉI EU TO AFIM DE VC MAS NAO VOU TE AGARRAR PQ NAO SOU ESSE TIPO DE MENINA” VC DIZ PRA ELA “EU SOU UM MERDA” ELA RI E DIZ “VC NAO É VC É FOFO” VC PENSA “OS FOFOS NAO PEGAM NINGUEM” ELA DIZ “EU GOSTO DE VC” VC MORRE POR DENTRO SE APOINA NA PAREDE PEGA NA MAO DELA E DIZ “EU TAMBEM GOSTO DE VC” VC PENSA “VÉIIII MANDOU MTO BEM NICE MOVE ,DUDE” VC CHEGA BEM PERTO DELA E ENFIM VCS SE BEIJAM ELA BEIJA MUITO BEM E VC SENTE GOSTO DE VODKA NA LINGUA DELA E ATE QUE TA BOM VC APROVEITA ELA BEIJA MTO BEM VC IMAGINA SE ELA ESTA GOSTANTO TANTO QUANTO VC. VC MORDE O LABIO DELA ELA MORDE O SEU VC PENSA “NICE MOVE” ELA POE A MAO NO SEU PESCOÇO VC POE NO DELA PASSA A MAO NO CABELO DELA E TEM UMA SENSAÇAO AGRADAVEL VC IMAGINA QUANTO TEMPO ELA PASSA NO SALAO PRA TER O CABELO ASSIM VC ESQUECE O QUE TAVA PENSANDO PQ ELA FEZ CARINHO NO SEU CABELO E TAVA MTO BOM VCS VIRAM AS CABEÇAS HARMONIOSAMENTE AO CONTRARIO VC PENSA “VÉI Q DOIDO!” ELA TE MORDE DEVAGAR VC FICA EXCITADO VC PARA DE BEIJAR PRA OLHAR PRA ELA: É A COISA MAIS LINDA QUE VC JA VIU ELA FICA COM VERGONHA ELA FICA MAIS LINDA VC SE APAIXONA IMAGINA OS DOIS MORANDO EM SIDNEY JUNTOS COM 2 FILHOS ADOTADOS IMAGINA ELA DORMINDO ABRAÇADA COM VC. VC SE ASSUSTA COM SUA LINHA DE PENSAMENTO VC DA UM BEIJO NA BOCHECHA DELA ELA RI VC SE APAIXONA ELA TE DA UM BEIJO “”NA TRAVA” VC GOSTA OLHA PROS PEITOS DELA VC PENSA “VÉI CE É TARADO” OLHA PRA ELA S RI ELA RI VCS FICAM A NOITE TODA (continua)

Se saudades tivessem cabelos, eles seriam ruivos.

Se saudades tivessem cabelos, eles seriam ruivos.

these days were the best; your red hair on my chest; setting down our nest;  forgetting all the rest; let go the past; everything was so fast; maybe i’m obcessed; but i need to know, then i must ask: stay with me and make this love last?

these days were the best; your red hair on my chest; setting down our nest; forgetting all the rest; let go the past; everything was so fast; maybe i’m obcessed; but i need to know, then i must ask: stay with me and make this love last?